Translate to English Translate to Spanish Translate to French Translate to German Google-Translate-Portuguese to Italian Translate to Russian Translate to Chinese Translate to Japanese

ONLINE
1




Partilhe este Site...





Total de visitas: 405740
ENTREVISTA COM ROSSIDÊ RODRIGUES MACHADO
ENTREVISTA COM ROSSIDÊ RODRIGUES MACHADO

  1. De onde você é? Quando você começou a se aventurar na literatura? Sofreu influência direta de parentes mais velhos, amigos, professores? O que aprendeu na escola o instigou a criar textos?

ROSSIDÊ: Sou natural do município de Jataí- GO. Não sofri influência direta, mas desde o primário sempre gostei de ler, escrever redação, interpretação de textos, resumo para desenvolvimento de trabalhos escolares. Com o tempo descobri que tenho também habilidade para rima e versos. Sempre tirava boas notas em minhas atividades escolares, mas só fui elogiada que escrevo bem pelo orientador do meu curso de mestrado, no qual, me formei em 2005. Depois de formada desenvolvi um projeto e no qual elaborei um poema (Orquídea) sobre o tema. Em 2007 li em um jornal “A TRIBUNA” de Santos sobre um concurso literário na cidade de São Vicente, inscrevi-me. Contemplada com medalha de prata, fui convidada pelos escritores e poetas participantes do jurado para visitar a Academia Vicentina de Letras, lá fiquei, estou até hoje. Já ganhei algumas medalhas (ouro, prata, bronze e Menções Honrosas), sempre motivada com a cultura e participando de concursos literários

 

  1. Você já leu muitas obras e lê frequentemente? Que gêneros (poesia, contos, crônicas, romance) e autores prefere?

ROSSIDÊ: Sim, já li muitas obras e estou sempre lendo. Gosto de poesias, contos, romances... Meus autores preferidos clássicos: Machado de Assis, Castro Alves, Vinício de Moraes, Fernando Pessoa, José de Alencar, Mário Quintana, Cora Coralina, Agatha Christie, Lewis Carroll, Carlo Collodi, Richard Bach... Atuais: Ferreira Gullar, Ana Maria Machado, Paulo Coelho, Chico Buarque, Cláudia Matarazzo, Padre Marcelo Rossi, Amir Klink e muitos outros. No momento estou lendo “Cartas Chilenas” de Tomás Antônio Gonzaga. No meu ponto de vista, a Bíblia Sagrada é o melhor livro; um conteúdo riquíssimo, milenar e sempre atual, que nos trás conhecimento para uma feliz vida terrena e também para salvação, a vida eterna. Como estamos neste mundo de passagem, o conhecimento bíblico é um tesouro, uma luz para esta vida e para nova caminhada.

 

  1. Costuma fazer um glossário com as palavras que encontra por aí (em livros, na internet, na televisão etc.) e ir ao dicionário pesquisá-las.os

ROSSIDÊ: No faço glossário, mas sempre consulto o dicionário quando encontro palavras diferentes do meu vocabulário, tanto de livros, como também na internet, televisão, revistas, etc.

  

  1. Há escritores de hoje na internet (não consagrados pelo povo) que admira? Em sites, Academias de que de repente participa?

ROSSIDÊ: Há vários escritores não consagrados pelo povo, mas que tem bons livros ou algumas interessantes obras avulsas de sua autoria publicadas, tanto na internet como nas academias de letras, etc. Exemplo: Rita Velosa, Regina Alonso, Vicente Cascione, Oliveira Caruso, Madô Martins, José Olimpio Coelho e muitos outros.   

 

  1. Você costuma participar de antologias? Acha-as algo interessante? Participaria de uma se eu a lançasse?

ROSSIDÊ: Antologia é interessante, já participei em mais de três dezenas de antologias. Sim, se Vossa Senhoria lançar uma Antologia Literária, eu participarei. Será uma satisfação!

 

  1. Você é membro de Academias de Letras? Aceitaria indicações para ingressar em Academias de Letras como membro?

ROSSIDÊ: Sou membro da Academia Vicentina de Letras, Sociedade dos Poetas Vivos de Santos e membro correspondente da ACECALB, ALG, ARTEPOP, ALTA. Sim, aceitaria indicação para me ingressar como membro correspondente em Academias de Letras.

 

  1. Tem idéia de quantos textos literários já escreveu? Há quanto tempo escreve ininterruptamente?

ROSSIDÊ: Não tenho idéia de quantos textos já escrevi, mas já publiquei  6 (seis) livros e participei em mais três dezenas de antologias.

 

  1. Você tem dificuldade de escrever em prosa, em verso? 

ROSSIDÊ. Não tenho dificuldades. No meu estilo, escrevo tanto em prosa, como também em verso.

 

  1. Você possui algum lugar onde publica textos virtualmente? Qual? 

ROSSIDÊ: Tenho três livros publicados no Ebook.

 

  1. Que temas prefere escrever? Prefere ficção ou o que vivencia e vê no dia a dia?

ROSSIDÊ: Não tenho preferência de temas para escrever. Sou uma aprendiz, mas vejo no mundo à minha volta sempre um convite, uma idéia para desenvolver uma obra literária (poesia, conto, crônica...). Gostaria de ter mais tempo para me dedicar à literatura.

 

  1. Aprecia outros tipos de arte usualmente? Frequenta museus, teatros, apresentações musicais, salões de pintura? Está envolvido com outro tipo de arte (é pintor, músico, escultor?)

ROSSIDÊ: Sou fã de Artes Plásticas, admiro todos  e estilos, mas prefiro  o acadêmico. Tenho curso de desenho artístico e pintura óleo s/tela. Já visitei alguns museus, ex: Museu da língua Portuguesa, Museu do Ipiranga, Memorial da América Latina, Museu de Artes de São Paulo - MASP, Museu Afro Brasil, Museu de Artes Sacras de Santos, Instituto Histórico e Geográfico de Santos... Alguns salões de pintura: Bienal Internacional de Artes de São Paulo, Brasil Quinhentos Anos, Pinacoteca Benedito Calixto e outros.

 

  1. Que retorno você espera da literatura para si mesmo no Brasil? E a nível de mundo?

ROSSIDÊ: Não penso em retorno econômico. Meu retorno é minha realização pessoal e poder contribuir com a cultura a nível regional, Brasil e mundo. Retorno econômico no Brasil só para os escritores consagrados.

 

  1. Você acha que o brasileiro médio costuma ler? Acha que ele gosta de literatura tradicional ou só de notícias rápidas e sem profundidade?

ROSSIDÊ: Acho que no Brasil necessita de maior incentivo ao hábito da leitura, para que o número de leitores multiplique. A cultura, o conhecimento é sempre bem-vindo, o maior bem que uma nação pode adquirir. Um povo culto, sábio, preparado para o trabalho e para a vida se faz com a leitura, muitos livros.

 

  1. Você costuma registrar seus textos na FBN antes de publicá-los? Sabe da importância disso?

ROSSIDÊ: Meus textos publicados são meus livros ou fazem parte das antologias que participo. São todos registrados no FBN.

 

  1. Já tem livros-solo publicados? Consegue vendê-los com certa facilidade? 

ROSSIDÊ: Tenho 6 (seis) livros solos publicados ( Oásis de Expressão. Reflexão e estímulo. Um novo tempo, 1ª Ed.2011, 2ª Ed.2012; Machado por uma Machado – Poesias, sonetos e versos, 2013; Pensamentos Fé Vida, 1ª Ed.2014 e 2ª Ed.2016; Faces do Cotidiano – Contos e Crônicas, 2015; Cidade de Cachoeira Alta. Na memória. Sempre!, 2015; Um Grilo Fenomenal – Conto infantil, 2016. Todos pela Scortecci, São Paulo.  Vendo alguns exemplares, faço doação em instituições de ensino e bibliotecas, dou também de presente para meus familiares e amigos.

 

  1. Já conhecia o poeta-escritor Oliveira Caruso (desculpe-me... Esta pergunta é padrão para quem participa de meus concursos literários)?

ROSSIDÊ: Conheci o poeta-escritor Oliveira Caruso na divulgação de seus concursos literários pela internet. O Oliveira Caruso é um excelente poeta-escritor, além de seus bons trabalhos literários é também um grande incentivador da cultura, promovendo concursos e publicação de antologias. Parabéns!

 

  1. Você trabalha com literatura inclusive para aumentar sua renda ou a leva como um delicioso hobby?

ROSSIDÊ: A literatura para mim é apenas um hobby, realização pessoal. Minha intenção, meu desejo é contribuir com cultura de nosso país. Esforço-me  para publicar bons livros, divulgar meu trabalho, mas não penso na literatura como fonte de renda.

 

  1. Você trabalha (ou) fora da literatura?

 ROSSIDÊ: Sou funcionária pública, atuo na educação. A Literatura é o meu hobby. Amo trabalhar, ler, escrever e publicar meus livros.

topo