Translate to English Translate to Spanish Translate to French Translate to German Google-Translate-Portuguese to Italian Translate to Russian Translate to Chinese Translate to Japanese

ONLINE
2




Partilhe esta Página





Total de visitas: 604317
ENTREVISTA COM ROBERTO PRADO BARBOSA JÚNIOR
ENTREVISTA COM ROBERTO PRADO BARBOSA JÚNIOR

ENTREVISTA COM ROBERTO PRADO BARBOSA JÚNIOR

 

  1. De onde você é? Sou de Santos/SP Quando você começou a se aventurar na literatura? Acho que desde sempre. Pois, acho eu, quem gosta de ler, acaba, fatalmente, escrevendo. Sofreu influência direta de parentes mais velhos, amigos, professores? Um bom professor no ginásio. O que aprendeu na escola o instigou a criar textos? Não, nunca, fora por esse professor, que infelizmente, foge-me seu nome...

 

  1. Você já leu muitas obras e lê frequentemente? Sim, sou leitor compulsivo. Que gêneros (poesia, contos, crônicas, romance) Crônicas e contos, biografias. autores prefere? Latino-americanos são a minha fraqueza.

 

  1. Costuma fazer um glossário com as palavras que encontra por aí (em livros, na internet, na televisão etc.) e ir ao dicionário pesquisá-las? Dicionário sim, tanto no celular quanto no computar.

 

  1. Há escritores de hoje na internet (não consagrados pelo povo) que admira? Em sites, Academias de que de repente você participa etc. Tenho a honra de participar da ALTO, Academia de Letras de Teófilo Otoni.

 

  1. Você costuma participar de antologias? Acho, se não me falha a memória, de uma ou duas. Acha-as algo interessante? Depois que comecei a participar, sim. Participaria de uma se eu a lançasse? Como não?

 

  1. Você é membro de Academias de Letras? Sim, da ALTO, Academia de Letras de Teófilo Otoni Aceitaria indicações para ingressar em Academias de Letras como membro? Seria uma honra.

 

  1. Tem ideia de quantos textos literários já escreveu? Não... Há quanto tempo escreve ininterruptamente? Ultimamente ando escrevendo menos, mas –acho eu – com mais qualidade....

 

  1. Você tem dificuldade de escrever em prosa, em verso? Não tenho dificuldade com nenhum estilo, mas tenho dificuldade em começar a escrever mesmo... Ando impaciente diante do teclado...

 

  1. Você possui algum lugar onde publica textos virtualmente? Ultimamente não tenho publicando em lugar nenhum. Desentendi-me seriamente com as últimas editoras. Qual? E mantenho o meu blog, onde tenho publicado meus haicais. Tenho dois trabalhos em andamento, que resolvi não postar por enquanto. = http://blogdonemesis.blogspot.com/

 

  1. Que temas prefere escrever? Prefere ficção ou o que vivencia e vê no dia a dia? Minha fraqueza é o Realismo Fantástico, sou fan/seguidor de Murílo Rubião.

 

  1. Aprecia outros tipos de arte usualmente? Música! Jazz e blues e rock dos (bons) anos setenta e algumas coisinhas contemporâneas... Frequenta museus, teatros, apresentações musicais, salões de pintura? De quando em vez, pois ando muito preguiçoso... Está envolvido com outro tipo de arte (é pintor, músico, escultor?) Já estraguei muitas telas, e para não agredir esse mundo ainda mais, parei com isso. Para desgraças e tragédias já temos a televisão...

 

  1. Que retorno você espera da literatura para si mesmo no Brasil? Nenhum! Quando jovem e cheio de esperança, reconhecimento e fama, hoje... Sei lá. E a nível de mundo? Sossego.

 

  1. Você acha que o brasileiro médio costuma ler? Não. E quando o fazem, leem porcarias recomendadas por “famosas mediocridades” da mídia. Acha que ele gosta de literatura tradicional ou só de notícias rápidas e sem profundidade? Quando leem, leem isso. Acho que se prestam a resumos de notícias desimportantes da UOL... Uma pena.

 

  1. Você costuma registrar seus textos na FBN antes de publicá-los? Não. Sabe da importância disso? Sim.

 

  1. Já tem livros-solo publicados? Sim, quatro, fora os que fazia em parceria com um amigo, com que bestamente presenteávamos os amigos, Que não os liam. Consegue vendê-los com certa facilidade? Ainda tenho muitos exemplares em casa. Quando publiquei o primeiro, feliz da vida saí a vendê-los, mas logo desanimei, pois alguns me diziam que comprariam para me ajudar, pois não tinham o costume de ler... Se fosse para viver de vender, venderia batatas e cebolas, não livros. Isso me levou a desistir de vendê-los. Às vezes presenteio alguém com eles... No mais segue em casa para serem enterrados comigo...

 

  1. Já conhecia o poeta-escritor Oliveira Caruso (desculpe-me... Esta pergunta é padrão para quem participa de meus concursos literários)? Só recentemente. Por você entrar em contato comigo.

 

  1. Você trabalha com literatura inclusive para aumentar sua renda ou a leva como um delicioso hobby? Não.

 

  1. Você trabalha(ou) fora da literatura? Sou (me perdoe a má palavra) funcionário público estadual....

topo