Translate to English Translate to Spanish Translate to French Translate to German Google-Translate-Portuguese to Italian Translate to Russian Translate to Chinese Translate to Japanese

ONLINE
4




Partilhe este Site...





Total de visitas: 461068
ENTREVISTA COM MARIA LUIZA VARGAS RAMOS
ENTREVISTA COM MARIA LUIZA VARGAS RAMOS

1. Quando você começou a se aventurar na literatura? Sofreu influência direta de

parentes mais velhos, amigos, professores? O que aprendeu na escola o instigou

a criar textos?

Escrevo desde que aprendi a me comunicar com letras.  Com caneta,

lápis, giz e até com pedaços de madeira na areia da praia. Tive ótimos

professores de Português em todo o tempo de escola e também na

Faculdade de Letras, que me ensinaram, sobretudo, a LER.


2. Você já leu muitas obras e lê frequentemente? Que gêneros e autores prefere?  

Não concebo a vida sem leitura. Meus autores preferidos são Graciliano

Ramos, Isabel Allende, Gabriel Garcia Marques, João Ubaldo, Machado

de Assis e muitos escritores orientais.


3. Costuma fazer um glossário com as palavras que encontra por aí (em livros, na

internet, na televisão etc.) e ir ao dicionário pesquisá-las?

Nessa altura da vida, não é comum aparecerem palavras

desconhecidas, mas sempre procuro pesquisar quando isso ocorre.


4. Há escritores de hoje na internet (não consagrados pelo povo) que admira? Em

sites, Academias de que de repente você participa etc.

Ainda sou bastante apegada aos livros em papel, mas leio alguns blogs,

quando sobra tempo.


5. Você costuma participar de antologias? Acha-as algo interessante? Participaria

de uma se eu a lançasse?

Já participei de várias. Algumas me agradaram, outras nem tanto, acho

que o critério de inclusão deve ser um pouco mais exigente.


6. Você é membro de Academias de Letras? Aceitaria indicações para ingressar em

Academias de Letras como membro?

Pertenço a uma – de Piracicaba. Já recebi outros convites, mas ainda

não foi nada concretizado.


7. Tem ideia de quantos textos literários já escreveu? Há quanto tempo escreve

ininterruptamente?  

Só no blog tenho mais de 700 crônicas publicadas. Colaborei durante

40 anos para jornal. Tenho três livros de crônicas e um de contos

publicados. Não passo um dia sequer sem escrever.


8. Você tem dificuldade de escrever em prosa, em verso?

Não faço mais poesia. Já fiz. Mas hoje escrevo quase sempre em

prosa.


9. Você possui algum lugar onde publica textos virtualmente? Qual?  

Sim, tenho um blog: Simplesmente Maria

http://cinquentinhas.blogspot.com


10. Que temas prefere escrever? Desagrada-lhe escrever sobre algum tema em

específico?  

Prefiro escrever sobre assuntos que estejam me fazendo refletir.

Não gosto muito de escrever “sob encomenda”, mas faço quando

necessário.


11. Aprecia outros tipos de arte usualmente? Frequenta museus, teatros,

apresentações musicais, salões de pintura? Está envolvido com outro tipo de arte

(é pintor, músico, escultor?)  

Gosto de artes em geral, de piano e balé em particular. Adoro todos os

tipos de programas artísticos.

Toco piano.


12. Que retorno você espera da literatura para si mesmo no Brasil? E a nível de

mundo?  

Não tenho muita esperança nos brasileiros como leitores.

 O chamado “primeiro mundo” está muito à frente neste aspecto.

Comprar livros, então, não pertence à nossa cultura.


13. Você acha que o brasileiro médio costuma ler? Acha que ele gosta de literatura

tradicional ou só de notícias rápidas e sem profundidade?  

As crianças gostam de ler.

Os jovens menos.

Os adultos menos ainda.

Os leitores são exceção.


14. Você costuma registrar seus textos na FBN antes de publicá-los? Sabe da

importância disso?

Só a editora costuma registrar meus livros, quando impressos.  


15. Já tem livros-solo publicados? Consegue vendê-los com certa facilidade?  

Sim, tenho quatro livros publicados e vendê-los demanda muita

insistência, muita “cara-de-pau”, muito desgaste.


16. Já conhecia o poeta-escritor Oliveira Caruso?  

Não, conheci há pouco, Virtualmente.


17. Você trabalha com literatura inclusive para aumentar sua renda ou a leva como

um delicioso hobby?

Quem me dera!

Normalmente, invisto minhas economias nos livros e cobro abaixo do

preço de custo para poder vendê-los.

Todos os concursos e antologias são pagos.

Escrever, para mim, não traz lucro algum financeiro.

topo