Translate to English Translate to Spanish Translate to French Translate to German Google-Translate-Portuguese to Italian Translate to Russian Translate to Chinese Translate to Japanese

ONLINE
10




Partilhe esta Página





Total de visitas: 847285
ENTREVISTA COM EDITE NUNES
ENTREVISTA COM EDITE NUNES

ENTREVISTA COM EDITE NUNES

 

  1. De onde você é? Quando você começou a se aventurar na literatura? Sofreu influência direta de parentes mais velhos, amigos, professores? O que aprendeu na escola o instigou a criar textos?

 

Sou de Governador Valadares/MG. Em 2009, influenciada por professores de psicologia, literatura e português. Meus amigos gostam do que escrevo, e minha primeira motivação foi na 4º série primária, ao construir a redação “O que serei amanhã?”

 

  1. Você já leu muitas obras e lê frequentemente? Que gêneros (poesia, contos, crônicas, romance) e autores prefere?

 

Leio frequentemente e participo da FATI - Faculdade da Terceira Idade, extensão da Fadivale. Exploro todos os gêneros e pretendo lançar um livro intitulado “Entre laços”, com inspirações poéticas e crônicas. Meus autores preferidos são: José de Alencar, Fernando Pessoa, Augusto Cury, Paulo Coelho e outros...

 

  1. Costuma fazer um glossário com as palavras que encontra por aí (em livros, na internet, na televisão etc.) e ir ao dicionário pesquisá-las?

 

Sem dúvidas! Nunca leio um livro na correria, leio pausadamente, procurando interpretar o foco, o ideal, significados de palavras antigas e novos verbetes.

 

  1. Há escritores de hoje na internet (não consagrados pelo povo) que admira? Em sites, Academias de que de repente você participa etc.

 

Não sou muito ligada a textos na internet, mas de vez em quando leio alguns, gosto mesmo é de edições impressas. Temos amigos escritores membros da academia valadarense de Letras, por exemplo: Marcelo Rocha e Lana Alpino.

 

  1. Você costuma participar de antologias? Acha-as algo interessante? Participaria de uma se eu a lançasse?

 

Fiz coleções de Antologias nos anos 2013, 2015, 2017, 2018 e 2019 (Vivara Editora Nacional). Ajudo a carregar os “carros” alheios. Com toda a certeza participaria.

 

  1. Você é membro de Academias de Letras? Aceitaria indicações para ingressar em Academias de Letras como membro?

 

Não sou membro de nenhuma academia de Letras por dois motivos: não tenho curso superior e ainda não fiz lançamento de um livro totalmente escrito por mim.

 

  1. Tem ideia de quantos textos literários já escreveu? Há quanto tempo escreve ininterruptamente?

 

Escrevo há onze anos. Já escrevi uns duzentos textos e uma autobiografia para comemorar os meus 70 anos.

 

  1. Você tem dificuldade de escrever em prosa, em verso? 

 

Não tenho dificuldades nem em prosa nem em versos. Posso ter alguns erros de concordância. Acompanho as ideias do modernismo.

 

  1. Você possui algum lugar onde publica textos virtualmente? Qual? 

 

Facebook, mas só os que me convêm, os outros reservo para o sonhado livro.

 

  1. Que temas prefere escrever? Prefere ficção ou o que vivencia e vê no dia a dia?

 

O que vivencio.

 

  1. Aprecia outros tipos de arte usualmente? Frequenta museus, teatros, apresentações musicais, salões de pintura? Está envolvido com outro tipo de arte (é pintor, músico, escultor?)

 

Gosto de visitar museus, shows, saraus e fazer turismo.

 

  1. Que retorno você espera da literatura para si mesmo no Brasil? E a nível de mundo?

 

Não espero retorno financeiro, sonho com reconhecimento e tenho alcançado medalhas, como: Medalha Machado de Assis, por Iúna - Espírito Santo (trovas), medalha em 1 º lugar pela prefeitura de Governador Valadares (crônica: “Honestidade: um dever, uma virtude). Jesus disse que o profeta não é reconhecido em sua pátria, então de repente o mundo enxerga o pretendente. 

 

  1. Você acha que o brasileiro médio costuma ler? Acha que ele gosta de literatura tradicional ou só de notícias rápidas e sem profundidade?

 

Olha, as pessoas estão se conscientizando de que, se não lerem, nada aprenderão. A culpa desse desvio de comportamento não é do leitor, é da família, somos responsáveis uns pelos outros. Todos os meus filhos e netos queimaram e ainda queimam pestanas para serem vitoriosos. As pessoas são curiosas com literatura portadora de filosofia de vida, querem conhecer o mundo em que vivem e seus mistérios astrológicos, geológicos, paleontológico e arqueológico.

 

  1. Você costuma registrar seus textos na FBN antes de publicá-los? Sabe da importância disso?

 

Quando participo de edições de antologias, os livros já vêm com direitos reservados, os que posto no Facebook levam meu nome e, como a conta é minha, considero-os seguros. Na FBN nunca registrei.

 

  1. Já tem livros-solo publicados? Consegue vendê-los com certa facilidade? 

 

Livros solos, não tenho publicado. Não sou uma boa vendedora. Peço ajuda às pessoas e às vezes consigo uma ajuda de custo.

 

  1. Já conhecia o poeta-escritor Oliveira Caruso (desculpe-me... Esta pergunta é padrão para quem participa de meus concursos literários)?

 

 Não.

 

  1. Você trabalha com literatura inclusive para aumentar sua renda ou a leva como um delicioso hobby?

 

Tenho levado como um delicioso hobby. Uso a literatura para esvaziar minha alma.

 

  1. Você trabalha (ou) fora da literatura?

 

Estou aposentada, faço todos os meus trabalhos domésticos.

Trabalhei por 7 anos e meio como professora e por 18 anos e alguns meses como bancária.

topo