Translate to English Translate to Spanish Translate to French Translate to German Google-Translate-Portuguese to Italian Translate to Russian Translate to Chinese Translate to Japanese

ONLINE
1




Partilhe esta Página





Total de visitas: 790834
ENTREVISTA COM DÉBORA NOVAES DE CASTRO
ENTREVISTA COM DÉBORA NOVAES DE CASTRO

ENTREVISTA COM DÉBORA NOVAES DE CASTRO

 


  1. De onde você é? Quando você começou a se aventurar na literatura? Sofreu influência direta de parentes mais velhos, amigos, professores?
    O que aprendeu na escola o instigou a criar textos?

    Débora Novaes de Castro(Débora de Castro), nascida em Bento de Abreu (antiga Alto Pimenta - Fazenda Valparaíso), comarca de Araçatuba-SP, em 22 de maio de 1935, residindo em São Paulo desde os 6 anos de idade. Minha família (do lado paterno) é do Vale do Paraíba, região de Cruzeiro/SP.


Quanto à Literatura, escrevo desde a adolescência (antigo Ginásio), e meus professores elogiavam meus primeiros textos em prosa e poesia. Meus incentivadores, do Colégio São Vicente de Paulo, bairro da Penha, São Paulo – SP: Ir. Terezinha do Menino Jesus (Língua Portuguesa e Literatura Brasileira) e Professor Leone (Ciências), que levou algumas de minhas poesias para o Jornal do bairro, “Gazeta Penhense”, 1951, e que, para minha alegria, foram publicadas. Nesse mesmo ano, o primeiro livrinho artesanal (pequenos retângulos de cartolina branca), mal e mal datilografado, paisagem colorida a lápis como capa, perfurado, e preso com prendedores de metal. Foram os primeiros arroubos de escritora, poeta e artista plástica.


Influência de parentes? Sim. Avó paterna, pai, mãe, tia, tio, e outros...

  1. Da saudosa e amada avó paterna, Lindolpha dos Santos Pinto Novaes. Admiradora de Casimiro de Abreu, escrevia seus versos, descompromissados, à sonoridade e cadência do poeta. Depois de ter que deixar o velho casarão assobradado da Fazenda do Jacu (herança de família), Cruzeiro – Vale do Parayba – SP, escreve: “Ah, casa querida, / que aos poucos vejo acabar.../ ah, que seu pudesse / mandaria reformar.../ mas dinheiro não tenho, / para te retocar/

retoco com minhas lágrimas, / que não cesso de chorar.”. 
2.  De meu querido pai, Francisco de Freitas Pinto Novaes, que lia os Jornais da época e também as publicações “Seleções”, que muito apreciava e comentava os melhores artigos.
3. De minha amada e prestimosa mãe, que gostava de cantarolar as modinhas do seu tempo, como “Sertaneja” e outras mais... inebriada pelas letras e melodias. Também leitora inveterada de “Coleção das Moças”, tinha quase todos os títulos de M. Derly, os quais colecionava, lia e relia; isso, além de revistas de série da sua época.
4.Tia Jupira, irmã de minha mãe, de quem ganhei vários títulos de “Coleção para Moças”, maioria de Em. M. Dely (escritores franceses).       .
5. E meu tio Otávio, irmão de meu pai, inveterado contador de histórias...

 

 

2.Você já leu muitas obras e lê frequentemente? Que gêneros (poesia,

contos, crônicas, romance) e autores prefere?

Sim. Com Graduação em Letras ( Literatura Brasileira e Pós em Literatura Portuguesa), autores brasileiros e estrangeiros, tanto em prosa, como em Poesia. Desses (leitura  e biblioteca pessoal): M. Dely (Inglaterra), CASTELO EM RUÍNAS - ENCONTRO DE AMOR, entre outros; Luiz de Camões (Portugal), CAMÕES;  Fernando Pessoa (Portugal),  FERNANDO PESSOA E SEUS HETERÔNIMOS; Emily Brontë (França), O MORRO DOS VENTOS UIVANATES); Jean-Paul Sartre (França), SARTRE; Gabriel Garcia Lorca (Colômbia), 100 ANOS DE SOLIDÃO; Cronin, Archibald Joseph Cronin (Escócia), AS CHAVES DO REINO - CIDADELA,  dentre outros; José Ingenieros (Argentina), O HOMEM MEDIOCRE; dentre  muitos outros.

Escritora e poeta, preferência pela Poesia, e nela, o HAICAI. 19 obras pessoais publicadas, quase todas em poesia; outras, Prosa Infantil/Infanto-Juvenil. Trabalhos de Pós Graduação e Mestrado. Deste, O HAICAI NO BRASIL - Comunicação & Cultura, Puc-SP, 2004, que, em  Livro, Scortecci Editora, são Paulo (SP), 2016, disponibilizado pela autora  à Pesquisa

Científica.

 

  1. Costuma fazer um glossário com as palavras que encontra por aí (em livros, na internet, na televisão etc.) e ir ao dicionário pesquisá-las?

 
Não. A meu ver, Poesia e Prosa são ao mesmo tempo “inspiração” e” transpiração”, como outros tantos já disseram.  Acontece a partir de um evento do passado, ou presente, que nos extasia. No dizer de Fernando Pessoa, magnífico poeta português, “Tudo vale a pena, se a alma não é pequena.”



  1. Há escritores de hoje na internet (não consagrados pelo povo) que admira? Em sites, Academias de que de repente você participa etc.

    Sim. Muitos. Acadêmicos da ACL – Academia Cristã de Letras - São Paulo; da APEL e Academia Paulista Evangélica de Letras – São Paulo; Paulo Roberto de Oliveira  Caruso (Rio de Janeiro - RJ), coordenador de  Concursos literários; Rosani Abou Adal – jornalista, poeta, diretora e editora do Jornal e Site LINGUAGEM VIVA (São Paulo-SP); Edson Kenji Iura - Grêmio Ipê de Haicai (São Paulo-SP); Francisco Handa - Grêmio Ipê de Haicai (São Paulo-SP);  Joyce Cavalcante - REBRA Rede de Escritoras Brasileiras (São Paulo-SP);  Andreia Donadon Leal – Jornal Aldrava - escritora, antologista, poeta e artista plástica (Mariana-MG); J. B. Donadon Leal – Jornal Aldrava – Prof. Dr. escritor, poeta, (Mariana-MG); Ademir Antônio Bacca – Jornalista e coordenador de Concursos Anuais de Literatura e Arte (Bento Gonçalves-RS); Rossir Berni - Editora Alcance; entre outros mais... 

 

  1. Você costuma participar de antologias? Acha-as algo interessante? Participaria de uma se eu a lançasse?


Não costumeiramente. Participei de algumas.

Sob sua coordenação? Sim participaria. 

 

  1. Você é membro de Academias de Letras? Aceitaria indicações para ingressar em Academias de Letras como membro?

    Da ACL - Academia Cristã de Letras; APEL e Academia Paulista Evangélica de Letras. Também de outras Academias, que, a meu pedido, agora como correspondente.

Quanto a convite acadêmico? Agradeceria a subida honra do convite, mas declinaria por problemas de saúde.

 

  1. Tem ideia de quantos textos literários já escreveu? Há quanto tempo escreve ininterruptamente?

 

Não tenho ideia. Desde a adolescência, como disse acima. Os textos, desde então, foram sendo cuidadosamente guardados durante 3 ou quatro décadas, quando e então, prioridades da vida assim se impunham. A primeira publicação oficial, em livro: Gotas de Sol, 1984; depois outro; e mais outro; e assim até 2016, com o 19° Livro.  Atualmente, à espera de publicação, 5 livros Infanto-Juvenis (prosa e poesia); e 3 em Poemas, Trovas e Haicais.

 


  1. Você tem dificuldade de escrever em prosa, em verso? 

 

Não se trata de dificuldade, mas sim de preferência. Penso que já nasci poeta. Amo a Poesia e tudo que ela corporiza e representa.


9. Você possui algum lugar onde publica textos virtualmente? Qual?

Site pessoal: DEBORA NOVAES DE CASTRO.COM.BR
www.deboranovaesdecastro.com.br ; RECANTO DAS LETRAS;  REBRA – Rede de Escritoras Brasileiras.

 


  1. Que temas prefere escrever? Prefere ficção ou o que vivencia e vê no dia a dia?

 

1.Poesia.  Temas da natureza (lírico / filosófico); humanístico (lírico / filosófico / Humor).
2. Prefiro o que vejo e vivencio no cotidiano.

 

 

  1. Aprecia outros tipos de arte usualmente? Frequenta museus, teatros, apresentações musicais, salões de pintura? Está envolvido com outro tipo de arte (é pintor, músico, escultor?)

  2. Não usualmente, mas aprecio a Arte em todos os seus segmentos e movimentos.
    2. Não frequento; mas sempre que tenho oportunidade, gosto muito. Pela Internet, mais vezes.
    3. Como Pintora (óleo e aquarela); e Desenho (livre e bico-de-pena).

  3. Que retorno você espera da literatura para si mesmo no Brasil? E a nível de mundo?

    Que algo do que escrevo, poesia ou prosa, não desapareça simplesmente, como uma folha caída ou arrastada pelo vento, numa tempestade.

 


  1. Você acha que o brasileiro médio costuma ler? Acha que ele gosta de literatura tradicional ou só de notícias rápidas e sem profundidade?


Na verdade, a grande maioria contenta-se com manchetes e notícias rápidas e sem profundidade em Jornais físicos ou da Internet.



  1. Você costuma registrar seus textos na FBN antes de publicá-los? Sabe da importância disso?


Em livros, Sim. Todos eles, registrados.

 

  1. Já tem livros-solo publicados? Consegue vendê-los com certa facilidade?

    Sim. 19 livros pessoais.

Todos os Livros disponibilizados no Site DEBORA NOVAES DE CASTRO. COM.BR. (Menu, LIVROS)

Ao início, nas Livrarias; mas geralmente, nas de grande porte, ficam esquecidos em porões, sótãos, ou subsolos. Tentei Distribuidor, mas a tiragem tinha que ser bem maior.

 


  1. Já conhecia o poeta-escritor Oliveira Caruso (desculpe-me... Esta pergunta é padrão para quem participa de meus concursos literários)?


 Sim. Conheci Paulo Roberto de Oliveira Caruso pela Internet (Rio de Janeiro - RJ). Advogado, Administrador de Empresa, poeta e produtor cultural; amigo das Letras e dos escritores, reconhecido organizador de Concursos Literários no Brasil e Exterior, em 2011.

Desde então, 4 Concursos Literários em que fui distinguida com 1 Medalha de Ouro, 2 Menções Honrosas e 2 Menções Especiais, 2012, 2014, 2015 e 2019, respectivamente. 

Obrigada, Paulo Roberto de Oliveira Caruso, por tudo que tem feito pelo escritor e pela valorização e divulgação da Literatura Brasileira!

17. Você trabalha com literatura inclusive para aumentar sua renda ou a leva como um delicioso hobby?


Por amor à Literatura, e muito especialmente pela Poesia.

  1. Você trabalha(ou) fora da literatura?

    Mesmo aposentada, trabalhei até 25/09/2011. Infarto, seguido de 2 Paradas cardíacas em 26/09/2011; outro Infarto do Miocárdio, 03/01/2012 . Desde então AITs e 2 AVCs; outra Angioplastia e Marca-Passo em 20 e 22/12/2020, respectivamente.

    Desde então, não mais. Apenas idas à Reuniões da UBT – Seção São Paulo, vez ou outra, e como vê, algumas atividades pela Internet.
    ­­____

    “Tudo posso naquele que me fortalece”. Filipenses 3:13 Amém!

    Paulo, agradecendo especialmente o convite, segue o Questionário.
    Desculpe-me, a demora. Obrigada!

 

 

topo