Translate to English Translate to Spanish Translate to French Translate to German Google-Translate-Portuguese to Italian Translate to Russian Translate to Chinese Translate to Japanese

ONLINE
3




Partilhe este Site...





Total de visitas: 404302
ENTREVISTA COM DANIELLI RODRIGUES
ENTREVISTA COM DANIELLI RODRIGUES

1. De onde você é? Quando você começou a se aventurar na literatura? Sofreu influência direta de parentes mais velhos, amigos, professores? O que aprendeu na escola o instigou a criar textos?

Sou de Londrina, cidade localizada no norte do Paraná. Comecei me aventurar pela literatura com os meus avós que moravam no sítio e sempre me contaram histórias maravilhosas. A partir daí peguei o gosto pela literatura oral. Mais tarde minha tia me deu diversos livros, depois tive ótimas professoras de História e Língua Portuguesa que fascinavam os meus olhos com histórias reais e de ficção. Posteriormente, lendo livros didáticos de minha mãe me encantei pela poesia, assim na fase de minha adolescência parei de escrever diários e comecei a escrever pequenas narrativas e alguns poemas. Sempre que possível participava de apresentações de teatros, declamações, exposições, seja na escola ou na igreja.

 

2. Você já leu muitas obras e lê frequentemente? Que gêneros (poesia, contos, crônicas, romance) e autores prefere?

Já li muitas obras de literatura, de crítica literária e sobre educação. Continuo lendo, mas no momento sou mais uma ledora, do que leitora, devido a dedicação aos estudos. Amo poesias e crônicas, principalmente as do período do Romantismo, do Modernismo e de Literatura Contemporânea. Gosto também de contos e romances de Machado de Assis e de Clarice Lispector. Admiro os escritos de diversos autores como Goethe, Álvares de Azevedo, Sylvia Plath, Machado de Assis, Kafka, Augusto dos Anjos, Carlos Drummond de Andrade, Manuel Bandeira, Clarice Lispector, Lygia Fagundes Telles, Cora Coralina, Marina Colasanti, Moacyr Scliar, etc.

 

3. Costuma fazer um glossário com as palavras que encontra por aí (em livros, na internet, na televisão etc.) e ir ao dicionário pesquisá-las?

Quando criança e adolescente fazia muitas pesquisas de palavras desconhecidas. Na graduação de Letras comecei a escrever palavras de gírias utilizadas na escola, porém não levei o projeto adiante para publicação de um glossário.

 

4. Há escritores de hoje na internet (não consagrados pelo povo) que admira? Em sites, Academias de que de repente você participa etc.

Com certeza, há muita gente com histórias fascinantes, poesias que tocam a nossa alma, porém são de escritores desconhecidos, ou melhor, não reconhecidos.

 

5. Você costuma participar de antologias? Acha-as algo interessante? Participaria de uma se eu a lançasse?

Sim, participei e continuo participando de diversas antologias. Creio que as antologias servem desde do simples ego de ser ter um poema publicado em livro à divulgação de um escritor. Se a proposta for interessante e viável ao meu orçamento participaria sim.

 

6. Você é membro de Academias de Letras? Aceitaria indicações para ingressar em Academias de Letras como membro?

Sim. Com certeza.

 

7. Tem ideia de quantos textos literários já escreveu? Há quanto tempo escreve ininterruptamente?

Não. Perdi muitos de meus escritos em um matrimônio malsucedido e fiquei um bom tempo sem escrever também. Escrevo quando tenho inspiração ou quando preciso.

 

8. Você tem dificuldade de escrever em prosa, em verso? 

Tenho mais facilidade para escrever poesias, já na prosa escrevo mais crônicas. Creio que minha dificuldade seria para escrever romances, pois vivo reescrevendo e não termino a história.

 

9. Você possui algum lugar onde publica textos virtualmente? Qual? 

Sim. Jornal Mundo Jovem, Revista Varal do Brasil, Fénix, Recanto das Letras, Facebook, entre outros.

 

10. Que temas prefere escrever? Prefere ficção ou o que vivencia e vê no dia a dia?

Os dois. Nas crônicas utilizo mais a realidade do meu cotidiano, e nos poemas em alguns faço uso ficção, em outros as minhas experiências.

 

11. Aprecia outros tipos de arte usualmente? Frequenta museus, teatros, apresentações musicais, salões de pintura? Está envolvido com outro tipo de arte (é pintor, músico, escultor?)

Sim. Adoro ir aos museus, assistir peças de teatros e apresentações musicais. Não tenho dom para ser pintora, musicista ou escultora, porém tenho vontade de aprender a pintar, adoraria ser artista plástica.

 

12. Que retorno você espera da literatura para si mesmo no Brasil? E a nível de mundo?

Gostaria que houvesse mais investimento na literatura brasileira e que ela se propagasse no mundo, assim como outras literaturas universais de outras línguas circulam de países a países.

 

13. Você acha que o brasileiro médio costuma ler? Acha que ele gosta de literatura tradicional ou só de notícias rápidas e sem profundidade?

 Acho que a família não investe na educação e muito menos na cultura de seus filhos, investem em brinquedos, na maioria eletrônicos e passeios em shopping ou hotéis resorts, ao invés, de ir aos museus, assistir peças de teatros e apresentações musicais, ler livros, contar histórias. Acredito que é importante saber da história do nosso próprio país, valorizar a cultura local e ter orgulho de onde viemos, o que somos e como podemos melhorar o nosso futuro.

 

14. Você costuma registrar seus textos na FBN antes de publicá-los? Sabe da importância disso?

Não. Sim.

 

15. Já tem livros-solo publicados? Consegue vendê-los com certa facilidade? 

Sim. Não.

 

16. Já conhecia o poeta-escritor Oliveira Caruso (desculpe-me... Esta pergunta é padrão para quem participa de meus concursos literários)?

Conheço virtualmente através de contatos de concurso e redes sociais.

 

17. Você trabalha com literatura inclusive para aumentar sua renda ou a leva como um delicioso hobby?

Sempre trabalhei com literatura como hobby, porém estou pensando em futuramente aumentar a minha renda com os meus escritos.

topo