Translate to English Translate to Spanish Translate to French Translate to German Google-Translate-Portuguese to Italian Translate to Russian Translate to Chinese Translate to Japanese

ONLINE
1




Partilhe este Site...





Total de visitas: 404704
ENTREVISTA COM BRAIAN THOMAS
ENTREVISTA COM BRAIAN THOMAS

Olá, queridos leitores. 

Trago até vocês a minha entrevista realizada com o jovem valor de nossas letras BRAIAN THOMAS, do Sergipe. Ele passou por uma história de recomeço após grave acidente automobilístico e conta tudo no seu livro Manchado. Aconselho realmente esta aquisição. É a prova documental da redenção de um ser humano batalhador. Boa leitura a todos!

 

  1. De onde você é? Quando você começou a se aventurar na literatura? Sofreu influência direta de parentes mais velhos, amigos, professores? O que aprendeu na escola o/a instigou a criar textos?

Sou Sergipano, nasci e moro em Aracaju, mas minha família toda está na Bahia, então considero que tenho um pé lá e um aqui. Sempre tive um gosto intrínseco pela leitura e escrita, lembro de pegar alguns livros na biblioteca da escola no ensino fundamental e de sempre ter gostado de quadrinhos, mas descobri minha capacidade de escrita e amor pela leitura de verdade na minha adolescência, quando sofri um grave acidente e escrevi um livro sobre como passei a enxergar o mundo durante minha recuperação. Infelizmente não tive nenhum escritor ou parente amante da leitura por perto para me inspirar, desenvolvi isso sozinho. Na escola os estudos sobre redação para o enem me fizeram expandir o vocabulário, ajudou de certa forma no meu desenvolvimento literário.

 

  1. Você já leu muitas obras e lê frequentemente? Que gêneros (poesia, contos, crônicas, romance) e autores prefere?

Tenho crescido minha lista de livros lidos constantemente! Estou sempre carregando um livro na minha mochila, gosto muito de ler romances e livros de auto-ajuda. Na internet costumo ler bastante poesia e contos, coisas mais curtas. Entre meus autores favoritos estão Sidney Sheldon que faz suspense de um jeito incrível, C.S. Lewis que tem uma escrita fluida e uma criatividade incrível e o Augusto Curry que consegue transmitir de forma sutil ensinamentos de várias vertentes.

 

  1. Costuma fazer um glossário com as palavras que encontra por aí (em livros, na internet, na televisão etc.) e ir ao dicionário pesquisá-las?
    Sim, sempre que estou lendo ou assistindo algo e identifico uma palavra que não conhecia eu corro no google para pesquisar a respeito. Eu costumava anotar essas palavras novas em um caderno no tempo de pré-vestibular.

 

  1. Há escritores de hoje na internet (não consagrados pelo povo) que admira? Em sites, Academias de que de repente você participa etc.
    Sim, costumo ler muita poesia na internet, então tenho muitos autores na minha lista.

 

  1. Você costuma participar de antologias? Acha-as algo interessante? Participaria de uma se eu a lançasse?
    Nunca participei de uma, mas tenho dois volumes na minha estante! Gosto bastante e pretendo participar de uma um dia, seria uma honra contribuir para sua antologia

 

  1. Você é membro de Academias de Letras? Aceitaria indicações para ingressar em Academias de Letras como membro?

Não, aceitaria sim, com todo prazer.


  1. Tem ideia de quantos textos literários já escreveu? Há quanto tempo escreve ininterruptamente?
    Na minha última contagem de poemas eu juntei 60 obras, até me surpreendi com esse número! Além desses ainda possuo alguns livros completos ou incompletos, romances que pretendo um dia terminar e até alguns outros projetos.

 

  1. Você tem dificuldade de escrever em prosa, em verso? 

Não, por muito tempo eu pensei não ser capaz de escrever versos, até que me apaixonei pela poesia e foi inevitável mergulhar nisso, desde então tenho tentado melhorar sempre.

 

  1. Você possui algum lugar onde publica textos virtualmente? Qual? 

Não, não costumo publicar meus escritos, com exceções de alguns poucos poemas nas redes sociais como facebook, instagram e tumblr.

 

  1. Que temas prefere escrever? Prefere ficção ou o que vivencia e vê no dia a dia?

Eu gosto de escrever sobre fantasia, sobre a sociedade e misturar as duas coisas. Já quando estou escrevendo poesia sou sempre muito pessoal e reflexivo.

 

  1. Aprecia outros tipos de arte usualmente? Frequenta museus, teatros, apresentações musicais, salões de pintura? Está envolvido/a com outro tipo de arte (é pintor, músico, escultor?)

Arte em todas as suas formas me fascina, sou um eterno amante da expressividade. Estou sempre consumindo arte, seja indo a cinemas, assistindo documentários, visitando exposições, concertos, lendo e pesquisando a respeito, só não frequento mais vezes o museu por falta de dinheiro haha. Além de escrever eu também desenho, pinto, e estou tentando aprender violão, amo fotografar e trabalho com design, o que considero também um trabalho bastante artístico.

 

  1. Que retorno você espera da literatura para si mesmo no Brasil? E a nível de mundo?

Por enquanto escrevo como forma de me expressar e de ajudar o maior numero de pessoa que eu possa, não tenho pretensão de alcançar vendas e me tornar famoso por isso, não por enquanto. Gostei muito da experiência de escrever, e em próximos projetos pretendo sim ser reconhecido pelo meu trabalho e contribuição com a escrita pro brasil, e não por um tradutor, quero eu mesmo produzir uma obra em inglês em breve, então o mundo talvez fique pequeno demais!

 

  1. Você acha que o brasileiro médio costuma ler? Acha que ele gosta de literatura tradicional ou só de notícias rápidas e sem profundidade?

O ser humano quer ler cada vez menos, e o brasileiro está na mesma situação. Textos longos são cada vez mais ignorados, e livros são sempre deixados de lado por filmes. Estamos vivendo uma era digital onde todos são muito visuais, queremos imagens, queremos movimento, velocidade, é difícil guardar a importância e relevância da leitura tradicional, mas ainda temos muitos amantes da literatura, e muitos que preferem um livro físico em mãos à um e-book reader ou uma adaptação para as telas de cinema. Brasileiro não gosta muito de ler e nem tem incentivo suficiente para mudar isso.

 

  1. Você costuma registrar seus textos na FBN antes de publicá-los? Sabe da importância disso?

Não costumo registrar, pois não costumo publicá-los, mas estou ciente da importância e por isso mesmo evito de colocar meus textos a mercê.

 

  1. Já tem livros-solo publicados? Consegue vendê-los com certa facilidade? 

Tenho meu primeiro livro sendo vendido atualmente, o Manchado, se trata de  um livro de autoajuda, então tem um público especifico que o consome,  porém costumo vender ele bem quando dou palestras.

 

  1. Já conhecia o poeta-escritor Oliveira Caruso (desculpe-me... Esta pergunta é padrão para quem participa de meus concursos literários)?

Já sim, pela Cris e o café poético!

 

  1. Você trabalha com literatura inclusive para aumentar sua renda ou a leva como um delicioso hobby?

Eu levo como um hobby, faço pro que gosto e sem cobrança, sem necessidade daquele trabalho para gerar alguma renda, quando vendo livros o dinheiro arrecadado ajuda nas despesas, mas levo isso apenas como uma bonificação, no futuro eu pretendo levar como uma profissão paralela.

 

topo